Monte
sua
prova

Selecione as melhores questões em nosso banco de atividades

Começar
Entendi! Quero começar!

Filtrar

Organize sua prova

Arraste suas questões e solte-as aqui.

Arraste
e solte aqui

Escolha suas questões abaixo

Avaliação Integrada de Aprendizagem - PNLD 2020 Interdisciplinar - 6º ano - BY NC 3.0BR

Leia o texto para responder à questão.

A cumbuca de ouro e os marimbondos

Havia dois homens, um rico e outro pobre, que gostavam de fazer peças um ao outro. Foi o compadre pobre à casa do rico pedir um pedaço de terra para fazer uma roça. O rico, para fazer peça ao outro, lhe deu a pior terra que tinha. Logo que o pobre teve o sim, foi para casa dizer à mulher, e foram ambos ver o terreno. Chegando lá nas matas, o marido viu uma cumbuca de ouro, e, como era em terras do compadre rico, o pobre não a quis levar para casa, e foi dizer ao outro que em suas matas havia aquela riqueza. O rico ficou logo todo agitado, e não quis que o compadre trabalhasse mais nas suas terras. Quando o pobre se retirou, o outro largou-se com a sua mulher para as matas a ver a grande riqueza. Chegando lá, o que achou foi uma grande casa de marimbondos; meteu-a numa mochila e tomou o caminho do mocambo do pobre, e logo que o avistou, foi gritando:

— Ó, compadre! Fecha as portas, e deixa somente uma banda da janela aberta!

O compadre assim fez, e o rico, chegando perto da janela, atirou a casa de marimbondos dentro da casa do amigo e gritou:

— Fecha a janela, compadre!

Mas os marimbondos bateram no chão, transformaram-se em moedas de ouro, e o pobre chamou a mulher e os filhos para as ajuntar. O ricaço gritava então:

— Ó, compadre, abra a porta!

Ao que o outro respondia:

— Deixe-me, que os marimbondos estão me matando!

E assim ficou o pobre rico, e o rico ridículo.

LISBOA, Henriqueta. Literatura oral para a infância e a juventude: lendas, contos e fábulas populares do Brasil. São Paulo: Peirópolis, 2002. p. 125-126.

Glossário Cumbuca – vaso feito de fruto da cuieira, em cuja parte superior se faz um furo. Mocambo – habitação precária; barraco; casebre.

Qual é o conflito da narrativa?



( a )

Um personagem é rico e o outro, pobre.

( b )

A casa do pobre está cheia de marimbondos.

( c )

O pobre encontra uma cumbuca de ouro.

( d )

O rico joga a casa de marimbondos dentro da casa do compadre pobre.

Resposta:

O conflito principal da narrativa é o fato de a cumbuca oferecer ouro ao pobre e marimbondos ao rico. É possível perceber o conflito no trecho “Chegando lá nas matas, o marido viu uma cumbuca de ouro, e, como era em terras do compadre rico, o pobre não a quis levar para casa, e foi dizer ao outro que em suas matas havia aquela riqueza.”.

Nível: intermediário

Objetivos operacionais: identificar o conflito principal da narrativa; ler e interpretar conto popular em prosa.

Avaliação Integrada de Aprendizagem - PNLD 2020 Interdisciplinar - 8º ano - BY NC 3.0BR

O texto a seguir é uma crônica de Carlos Drummond de Andrade.

O que dizem as camisetas

Apareceram tantas camisetas com inscrições, que a gente estranha ao deparar com uma que não tenha nada escrito.

[...]

Vi na rua Sete de Setembro um homem que trazia a inscrição “Guiné-pipi” na frente e nas costas.

— Candidato a vereador? – perguntei. — De que partido?

— Não, senhor. Erva contra reumatismo. Quer experimentar? É um porrete. Trago para o senhor uma amostra da fábrica, lá de Cordovil.

— Obrigado, amigo. O Dr. Nava já cuida do meu.

— Mas qualquer problema, o senhor não tenha cerimônia. É só dizer, que eu falo com os colegas, conforme o caso. Ou o senhor mesmo fala, se encontrar com um deles.

— E como é que eu vou saber?

— Pela camiseta, é claro. Tem o Cipó-Azougue, que é um balaço contra eczema, aliás, pessoalmente, é um cara ótimo. O Beldroega (faz pouco ele passou por aqui) toma conta do fígado e depura o sangue. Do Sete-Folhas, que é até meu vizinho, vejo que o senhor não carece, pois é para emagrecer. Agora, convém não esquecer o Boldo. Lá um dia a gente tem uma ressaca, e o Boldo resolve.

Vi que as camisetas da medicina natural são numerosas, mas as de uísques, vinhos alemães, motos, motéis, cigarros, antigripais, cursinhos, judô, budismo, loteria, jogo de búzios, etc. não fazem por menos. Hoje em dia não há produto que não tenha, além dos comunicadores remunerados, outros absolutamente gratuitos, e estes são maioria. Todo mundo anuncia alguma coisa, e a camiseta é o cartaz na pele. Sendo de notar que há tendência para anunciar até no bumbum. Mas este é um ramo ainda experimental. [...]

Não há mais condições para gravar palavras eternas em muros de catedral. Hoje estampam-se recados em camisetas descartáveis. Como esta crônica.

ANDRADE, Carlos Drummond de. O que dizem as camisetas. In: Moça deitada na grama. Rio de Janeiro: Record, 1987. Adaptado. 

Glossário Reumatismo – denominação de enfermidades que causam inflamação e dores nas articulações e nos músculos. Balaço – tiro de bala. Eczema – anormalidade da pele que se caracteriza por reação alérgica inflamatória, com formação de vesículas e crostas. Remunerado – que recebe remuneração, salário. 

De acordo com o texto, o uso de algumas camisetas pode



( a )

identificar as pessoas com doenças como reumatismo, eczema e problemas no fígado. 

( b )

curar algumas doenças não muito graves. 

( c )

fazer parte de um tratamento médico, identificando os pacientes. 

( d )

ajudar a identificar os vendedores de remédios naturais.

Resposta:

De acordo com a crônica, o uso de algumas camisetas pode ajudar a identificar os vendedores de remédios naturais.

Companhia das Ciências - Ciências - 6º ano - BY NC 3.0BR

Observe a ilustração a seguir, que mostra um gnômon fincado verticalmente em determinado local plano e horizontal do hemisfério sul e a representação do movimento aparente do Sol ao longo de um dia em diferentes períodos do ano.

Responda:

a) Indique na ilustração o movimento aparente do Sol no solstício de dezembro. Justifique sua resposta.

b) Indique na ilustração o movimento aparente do Sol no solstício de junho. Justifique sua resposta.

Resposta:

Objeto(s) de conhecimento Forma, estrutura e movimentos da Terra

Habilidade (EF06CI14) Inferir que as mudanças na sombra de uma vara (gnômon) ao longo do dia em diferentes períodos do ano são uma evidência dos movimentos relativos entre a Terra e o Sol, que podem ser explicados por meio dos movimentos de rotação e translação da Terra e da inclinação de seu eixo de rotação em relação ao plano de sua órbita em torno do Sol.

Tipo de questão Aberta Capítulo/Unidade 1/1

Grade de correção 100% O estudante respondeu corretamente ao que foi solicitado. a) O movimento aparente do Sol no solstício de dezembro está representado pela curva azul, pois indica, nesse período, maior altura do Sol na abóboda celeste, provocando maior insolação na região e maior aquecimento nessa época do ano. b) O movimento aparente do Sol no solstício de junho está representado pela curva verde, pois indica, nesse período, menor altura do Sol na abóboda celeste, provocando menor insolação na região e menor aquecimento nessa época do ano. 50% O estudante respondeu corretamente ao que foi solicitado em apenas um dos itens ou parcialmente para os dois itens. 0% O estudante não respondeu corretamente ao que foi solicitado.

Companhia das Ciências - Ciências - 9º ano - BY NC 3.0BR

A cidade de Curitiba, no Paraná, é conhecida por ser uma das mais sustentáveis do Brasil. Apesar disso, ainda enfrenta problemas relacionados ao lixo, conforme descrito no trecho da reportagem a seguir:

“[Em 2018], quase 1,1 mil de tonelada de lixo foi retirada [...] das bacias hidrográficas de Curitiba

[...]

[...] o que mais preocupa são os itens descartados de forma incorreta pela população [...]”

Fonte: Portal da Prefeitura de Curitiba. Disponível em: (acesso em: 2 out. 2018). 

a) Proponha uma iniciativa individual e uma política pública para diminuir o problema ambiental que a cidade de Curitiba enfrenta.

b) Apesar desse problema, Curitiba ainda é considerada uma das cidades mais sustentáveis do Brasil. Que ação citada no texto contribui para que essa situação se mantenha?

Resposta:

Objeto(s) de conhecimento Preservação da biodiversidade

Habilidade (EF09CI13) Propor iniciativas individuais e coletivas para a solução de problemas ambientais da cidade ou da comunidade, com base na análise de ações de consumo consciente e de sustentabilidade bem-sucedidas.

Tipo de questão Aberta Capítulo/Unidade 1/1

Grade de correção 100% O estudante respondeu corretamente ao que foi solicitado. a) Ação individual: descartar de forma correta todos os tipos de material (orgânicos e não orgânicos); política pública: instalação ou ampliação da coleta seletiva. b) A ação que contribuiu para que a cidade de Curitiba se mantenha como uma das mais sustentáveis do Brasil é a da retirada do lixo das bacias hidrográficas. 50% O estudante respondeu corretamente ao que foi solicitado em apenas um dos itens ou parcialmente para os dois itens. 0% O estudante não respondeu corretamente ao que foi solicitado.

Geografia: Território e Sociedade - Geografia - 9º ano - BY NC 3.0BR

Observe a imagem abaixo.

Considerando a cena retratada na pintura, indique duas modificações da paisagem que podem ser consideradas consequências da Segunda Revolução Industrial.

Resposta:

Objeto(s) de conhecimento Diversidade ambiental e as transformações nas paisagens na Europa, na Ásia e na Oceania

Habilidade (EF09GE18) Identificar e analisar as cadeias industriais e de inovação e as consequências dos usos de recursos naturais e das diferentes fontes de energia (tais como termoelétrica, hidrelétrica, eólica e nuclear) em diferentes países.

Tipo de questão Aberta Capítulo/Unidade C1/U1

Grade de correção 100% O aluno indica que a Segunda Revolução Industrial causou, por exemplo, a expansão dos espaços urbanos; a utilização de novas fontes de energia e a ampliação do uso das já existentes, inclusive resultando em poluição atmosférica. 50% O aluno indica apenas uma modificação na paisagem provocada pela Segunda Revolução Industrial. 0% O aluno não indica nenhuma modificação na paisagem provocada pela Segunda Revolução Industrial.

Geografia: Território e Sociedade - Geografia - 7º ano - BY NC 3.0BR

Responda às questões abaixo, relacionadas à delimitação do território do Brasil.

a) Explique como foram definidos os limites do território do país.

b) Cite dois tratados relacionados à definição dos limites do território brasileiro e explique quando foram estabelecidos e o que determinavam.

Resposta:

Objeto de conhecimento Formação territorial do Brasil

Habilidade (EF07GE02) Analisar a influência dos fluxos econômicos e populacionais na formação socioeconômica e territorial do Brasil, compreendendo os conflitos e as tensões históricas e contemporâneas.

Tipo de questão Aberta Capítulo/Unidade C2/U1

Grade de correção 100% No item a, o aluno reconhece que os limites do território brasileiro foram definidos por meio da assinatura de tratados, principalmente entre Portugal e Espanha. No item b, menciona pelo menos dois tratados e explica o que determinavam. Podem citar, entre outros: o Tratado de Tordesilhas, no século XV, o primeiro a ser assinado entre Portugal e Espanha, por meio do qual foi traçada uma linha imaginária que dividia as novas terras descobertas e a descobrir entre os dois países, e visava a exploração do território em busca de riquezas; o Tratado de Badajós, no século XIX, entre portugueses e espanhóis, por meio do qual os limites atuais de nosso país ficaram praticamente definidos; o Tratado de Petrópolis, no século XX, o último tratado assinado, firmado com a Bolívia, sobre a exploração do látex, com a incorporação do território que agora corresponde ao Acre. 50% O aluno reconhece que os limites do território brasileiro foram traçados por meio de tratados e acordos (item a), entretanto, não menciona nem explica pelo menos dois tratados específicos (item b). 0% O aluno não reconhece que a formação do território brasileiro foi resultado de tratados, nem menciona dois deles.

História.doc - História - 7º ano - BY NC 3.0BR

Leia o texto abaixo:

A peste negra foi a maior catástrofe populacional da história ocidental: num intervalo de tempo bem menor, matou, em termos absolutos, mais do que a Primeira Grande Guerra Mundial e, em termos relativos, considerando-se a população europeia nos dois momentos, mais do que a Segunda Guerra Mundial.

FRANCO JÚNIOR, Hilário. Idade Média: nascimento do Ocidente. São Paulo: Brasiliense, 2006. p. 31.

Com base nos seus conhecimentos e no texto acima, explique de que forma a peste negra contribuiu para a crise do século XIV, que resultou no fim do período conhecido como Idade Média.

Resposta:

Objeto(s) de conhecimento Transição da Idade Média à Idade Moderna na Europa cristã

Habilidade Identificar o papel da Igreja, da demografia, do abastecimento e das guerras do colapso do feudalismo europeu.

Tipo de questão Aberta Capítulo/Unidade Capítulo 1 - Unidade 1

Grade de correção 100% O aluno identifica que a peste negra causou a morte de grande parte da população europeia, despovoando campos, diminuindo a produção agrícola, enfraquecendo as relações entre senhores e servos, intensificando, assim, a crise do século XIV, que culminou no fim do período medieval. 50% O aluno identifica que a peste negra causou a morte de grande parte da população europeia, despovoando campos e diminuindo a produção agrícola, mas não aponta o enfraquecimento nas relações entre senhores e servos e não relaciona a peste com a crise do século XIV. 0% O aluno não identifica a grande mortalidade causada pela peste negra na população europeia nem a relação entre essa peste com a crise do século XIV. O aluno não responde ao comando do enunciado ou não se atém à explicação elaborada.

Orientações sobre como interpretar as respostas e reorientar o planejamento com base nos resultados Verifique se o aluno tem dúvidas em relação ao vocabulário. Procure auxiliá-lo no exercício de interpretação. Caso necessário, explique-lhe que o decréscimo populacional na sociedade feudal europeia causado pela peste negra é o ponto central do trecho apresentado. Relembre os fatores que marcaram a crise do século XIV (crise de abastecimento, fomes, pestes, guerras, revoltas camponesas, etc.), relacionando-os entre si. Dessa forma, espera-se que o aluno compreenda o que foi a crise do século XIV e por que ela marcou um momento de declínio do feudalismo na Europa.

História.doc - História - 8º ano - BY NC 3.0BR

Durante séculos, os fenômenos da natureza e da sociedade eram explicados por meio de argumentos religiosos, como, por exemplo, a vontade divina. O pensamento iluminista, no século XVIII, trouxe mudanças na forma de explicar esses fenômenos.

A partir da leitura do texto abaixo, identifique de que forma o Iluminismo trouxe inovações para essas explicações.

O pensamento iluminista tem como fundamento a crença no poder da razão humana de compreender nossa verdadeira natureza e de ser consciente de nossas circunstâncias. O homem, então, cria ser o detentor de seu próprio destino, formulando o racionalismo e contrariando as imposições de caráter religioso, sua “razão” divina de existir, e os privilégios dados à nobreza e ao clero – ainda predominantes à época (séculos XVII e XVIII).

MELLO, Vico; DONATO, Manuella. O pensamento iluminista e o desencantamento do mundo: Modernidade e a Revolução Francesa como o marco paradigmático. Revista Crítica Histórica. UFAL, Ano II, nº4, 2011. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2018.

Resposta:

Objeto(s) de conhecimento A questão do iluminismo e da ilustração

Habilidade (EF08HI01) Identificar os principais aspectos conceituais do iluminismo e do liberalismo e discutir a relação entre eles e a organização do mundo contemporâneo.

Tipo de questão Aberta

Capítulo/Unidade 1

Grade de correção 100% O aluno identifica que os autores abordam o conhecimento racional em contraposição às explicações religiosas, e que esse posicionamento passou a ser central na explicação de fenômenos da natureza e da sociedade, em contraposição ao pensamento baseado somente em preceitos religiosos. 50% O aluno identifica apenas que o Iluminismo era baseado na razão, e não faz associações entre o texto e sua afirmativa ao longo da resposta. 0% O aluno não identifica que os autores abordam o racionalismo iluminista, ou não identifica como ele foi tratado por esses autores.

Orientações sobre como interpretar as respostas e reorientar o planejamento com base nos resultados O objetivo da questão é abordar o conhecimento racional, base do pensamento iluminista, e as mudanças que esse movimento imprimiu na sociedade ocidental. Dessa forma, caso os alunos apresentem rendimento insuficiente na questão, releia com eles o trecho, auxiliando-os em sua interpretação. Relembre a turma de que modo os fenômenos da natureza e da sociedade eram explicados, utilizando preceitos religiosos e como, sob o Iluminismo, passaram a ser explicados por meio de um pensamento baseado na racionalidade científica. Desse modo, os alunos poderão compreender melhor a importância do pensamento iluminista e o impacto que este possui até hoje na forma como se compreende o mundo contemporâneo.

Matemática essencial - Matemática - 6º ano - BY NC 3.0BR

Observe a reta numérica a seguir e responda as questões abaixo.

a) Qual é o menor número par?

b) Qual número ímpar está entre 11 e 15?

c) Quantos números apresentados nessa reta têm o algarismo 1 com valor posicional 10?

Resposta:

Habilidade avaliada: Identificar os números naturais, reconhecer que o zero é o menor número natural par, identificar um número ímpar em um intervalo de números naturais e reconhecer o valor posicional dos algarismos no sistema decimal indo-arábico.

Essa questão se relaciona à habilidade EF06MA01 da BNCC: Comparar, ordenar, ler e escrever números naturais e números racionais cuja representação decimal é finita, fazendo uso da reta numérica.

Respostas:

a) 0.

b) 13.

c) 6.

Espera-se que os alunos reconheçam que a sequência de números naturais é composta de números pares sucedidos alternadamente por números ímpares. Na questão A, uma resposta diferente pode estar relacionada à ideia de que o zero representa nenhuma quantidade e por isso não pode ser par nem ímpar, um conceito herdado da subtração de quantidades iguais. A reta numérica é um recurso para mostrar que zero é um algarismo e que ocupa uma posição na sequência dos números naturais. É interessante salientar que o zero não era representado em alguns sistemas de numeração antigos e que teve enorme importância no desenvolvimento de outros sistemas, como o dos maias e o indo-arábico que usamos, que permite escrever qualquer número com apenas dez algarismos. Se ocorrer algum caso dessa natureza, retome a sequência dos números naturais, indicando que surgiram com base no processo de contagem progressiva e regressiva.

Na questão B, como a compreensão do conceito de par e ímpar está associada à sequência dos números naturais, conhecimento que já faz parte do repertório dos alunos de anos anteriores, uma eventual resposta equivocada pode estar relacionada à dúvida se os extremos do intervalo enunciado, entre 11 e 15, estão incluídos. Mas atente-se para observar se houve alguma dificuldade para estabelecer o número 13 como par ou ímpar. Se for o caso, lembre os alunos de que números pares representam um agrupamento de duplas de objetos, sem sobrar nenhum.

Na questão C, um equívoco possível é indicar como 5 a quantidade de números que têm o algarismo 1 com valor posicional 10, talvez porque entendam que a resposta correta inclui os números de 10 a 15 e tenham obtido esse valor ao subtrair 10 de 15. Outras respostas possivelmente se devem ao fato de o aluno não associar a expressão valor posicional com o valor do algarismo em cada posição que ocupa no número. Reforce esse conhecimento, separando as ordens e oferecendo novos exemplos e novos desafios para que eles resolvam com segurança.

Matemática essencial - Matemática - 9º ano - BY NC 3.0BR

Observe os seguintes números irracionais:

−2√7             √3              π              2√2              −√20

Na reta numérica abaixo, identifique a posição adequada para cada um dos números irracionais apresentados, preenchendo os quadros correspondentes.

Resposta:

Habilidade avaliada: comparar números irracionais e estimar a localização na reta numérica.

Essa questão se relaciona à habilidade EF09MA02 da BNCC: Reconhecer um número irracional como um número real cuja representação decimal é infinita e não periódica, e estimar a localização de alguns deles na reta numérica.

Resposta: Da esquerda para a direita, a ordem correta de preenchimento dos quadros é: −2√7, −√20, √3, 2√2, π.

Caso os alunos apresentem respostas diferentes da exposta, com equívocos no preenchimento da reta numérica com os números irracionais apresentados, possivelmente, eles estão com dificuldades na comparação dos números irracionais entre si e para identificar as relações de maior ou menor ou, ainda, em organizá-los na reta numérica conforme essas comparações.

Diante dessas dificuldades, é importante retomar as características dos números irracionais, comparando-os com os racionais, de modo que os alunos possam distinguir os números reais entre essas duas categorias. Podem ser propostos outros exemplos ou atividades semelhantes a essa, solicitando aos alunos a comparação entre diferentes números irracionais e a construção da reta numérica. Nesse trabalho, pode ser utilizado como auxílio a calculadora ou o computador, de maneira que os alunos possam identificar, com base nesses equipamentos, aproximações para cada um dos números irracionais considerados, de modo a conferir suas interpretações a respeito desse tema.

Assim, analise as respostas e os registros apresentados pelos alunos e verifique as diferentes respostas, as justificativas e os procedimentos apresentados por eles. Com base nisso, organize atividades de intervenção no sentido de auxiliá-los na superação de suas dificuldades, bem como para reforçar os principais conceitos abordados na questão, podendo utilizar-se de atividades semelhantes ou de outros recursos para sanar as dúvidas e corrigir as possíveis falhas na interpretação dos conceitos.

Português: Conexão e uso - Língua Portuguesa - 9º ano - BY NC 3.0BR

Leia um trecho do conto Missa do Galo de Machado de Assis.

Missa do Galo

Nunca pude entender a conversação que tive com uma senhora, há muitos anos, contava eu dezessete, ela trinta. Era noite de Natal. Havendo ajustado com um vizinho irmos à missa do galo, preferi não dormir; combinei que eu iria acordá-lo à meia-noite. A casa em que eu estava hospedado era a do escrivão Meneses, que fora casado, em primeiras núpcias, com uma de minhas primas. A segunda mulher, Conceição, e a mãe desta, acolheram-me bem quando vim de Mangaratiba para o Rio de Janeiro, meses antes, a estudar preparatórios. Vivia tranquilo, naquela casa assobradada da Rua do Senado, com os meus livros, poucas relações, alguns passeios. A família era pequena, o escrivão, a mulher, a sogra e duas escravas. Costumes velhos. Às dez horas da noite toda a gente estava nos quartos; às dez e meia a casa dormia.

ASSIS, Machado de. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2018.

O trecho inicial desse conto consiste na descrição do modo de vida e da rotina do narrador- -personagem no Rio de Janeiro. Por que essas informações são consideradas importantes para a compreensão da sequência da narrativa?

Resposta:

Prática de Linguagem Leitura

Objeto(s) de conhecimento Reconstrução da textualidade e compreensão dos efeitos de sentidos provocados pelos usos de recursos linguísticos e multissemióticos.

Habilidade (EF69LP47) Analisar, em textos narrativos ficcionais, as diferentes formas de composição próprias de cada gênero, os recursos coesivos que constroem a passagem do tempo e articulam suas partes, a escolha lexical típica de cada gênero para a caracterização dos cenários e dos personagens e os efeitos de sentido decorrentes dos tempos verbais, dos tipos de discurso, dos verbos de enunciação e das variedades linguísticas (no discurso direto, se houver) empregados, identificando o enredo e o foco narrativo e percebendo como se estrutura a narrativa nos diferentes gêneros e os efeitos de sentido decorrentes do foco narrativo típico de cada gênero, da caracterização dos espaços físico e psicológico e dos tempos cronológico e psicológico, das diferentes vozes no texto (do narrador, de personagens em discurso direto e indireto), do uso de pontuação expressiva, palavras e expressões conotativas e processos figurativos e do uso de recursos linguístico-gramaticais próprios a cada gênero narrativo.

Tipo de questão Aberta Capítulo/Unidade Unidade 1

Grade de correção 100% O aluno analisa que a parte inicial do conto, que descreve o modo de vida e a rotina do narrador-personagem, é importante porque caracteriza os personagens e os situa no espaço e no tempo em que a narrativa se desenrola. 50% O aluno analisa a importância do trecho apenas para a apresentação do narrador- -personagem, não considerando o espaço e o tempo descritos. 0% O aluno não considera a importância do trecho inicial para a compreensão do restante da narrativa.

Orientações sobre como interpretar as respostas e reorientar o planejamento com base nos resultados Sugere-se que os alunos sejam levados a tomar conhecimento do restante do texto, realizando uma leitura coletiva em sala de aula, a fim de perceber de maneira mais clara a relação entre a descrição feita no trecho inicial e o desenrolar na narrativa. Além disso, é recomendável solicitar aos alunos que escolham outros contos, em livros da biblioteca ou na internet, e identifiquem elementos e traços da composição desses textos: o uso de recursos coesivos, a intenção principal, a construção dos personagens, tempo e espaço etc.

Português: Conexão e uso - Língua Portuguesa - 6º ano - BY NC 3.0BR

Leia este trecho do conto “O companheiro de viagem”, de Figueiredo Pimentel.

André, [...] menino querido e estimado por todos que o conheciam, achava-se desesperado [...] porque sabia que o seu extremoso pai estava nos paroxismos finais da vida.

Só ele velava no pequeno [...] aposento onde jazia o moribundo. A lamparina acesa derramava amortecida claridade. Era noite alta.

De súbito, o velho, quebrando o silêncio, falou:

― Sempre foste bom filho, André [...].

Depois, olhou tristemente o filho, pela última vez; fechou os olhos para sempre [...]. Estava morto, mas parecia dormir apenas um sono doce [...] porque morrera serenamente [...]

André [...] chorava amargamente: ajoelhado junto à cama, tendo entre as suas as mãos do seu amado morto, beijando-as [...] deixou-se ficar na mesma posição, sempre a chorar, até que, vencido pelo sono [...] adormeceu.

Sonhou. [...] Viu o velho, de perfeita saúde, sorrindo-se, alegre como outrora [...] Uma encantadora mocinha [...] estendia-lhe a mão, enquanto seu pai lhe dizia: “Eis tua noiva, André. É a moça mais formosa do mundo inteiro”.

O menino despertou.

A agradável [...] visão havia desaparecido. Ninguém se achava a seu lado: no quarto, só estavam ele e o cadáver.

No dia seguinte enterraram o morto.

(PIMENTEL, Figueiredo. O companheiro de viagem. In: Histórias da Avozinha. Disponível em: . Acesso em: 4 ago. 2018.)

Glossário: Paroxismo: respiração ruidosa de quem agoniza.

Marcadores de tempo são recursos coesivos que ajudam na construção dos textos ficcionais.

a) Relacione no quadro cada marcador de tempo destacado com o fato ocorrido no fragmento.

1. Era noite alta 2. De súbito 3. Depois 4. No dia seguinte

o pai é enterrado. o pai fala pela última vez com o filho. o filho está com o pai muito doente. o pai morre.

b) Em seguida, responda: qual é a função dos marcadores de tempo nesse fragmento do conto?

Resposta:

Objeto(s) de conhecimento Reconstrução da textualidade e compreensão dos efeitos de sentidos provocados pelos usos de recursos linguísticos e multissemióticos

Habilidade (EF69LP47) Analisar, em textos narrativos ficcionais, as diferentes formas de composição próprias de cada gênero, os recursos coesivos que constroem a passagem do tempo e articulam suas partes, a escolha lexical típica de cada gênero para a caracterização dos cenários e dos personagens e os efeitos de sentido decorrentes dos tempos verbais, dos tipos de discurso, dos verbos de enunciação e das variedades linguísticas (no discurso direto, se houver) empregados, identificando o enredo e o foco narrativo e percebendo como se estrutura a narrativa nos diferentes gêneros e os efeitos de sentido decorrentes do foco narrativo típico de cada gênero, da caracterização dos espaços físico e psicológico e dos tempos cronológico e psicológico, das diferentes vozes no texto (do narrador, de personagens em discurso direto e indireto), do uso de pontuação expressiva, palavras e expressões conotativas e processos figurativos e do uso de recursos linguístico-gramaticais próprios a cada gênero narrativo.

Tipo de questão Aberta Capítulo/Unidade Unidade 1

Grade de correção 100% Os alunos analisam, em um texto ficcional, recursos coesivos que constroem a passagem do tempo, associando esses marcadores ao seu respectivo fato conforme este acontece no fragmento. Resposta correta no item a:

Resposta possível no item b: A função desses marcadores é indicar o avanço do tempo, a ordem em que os fatos narrados acontecem no fragmento. 50% Os alunos realizam corretamente apenas uma das duas atividades solicitadas no comando. 0% Os alunos não associam corretamente os marcadores de tempo aos fatos correspondentes no item a nem apresentam uma resposta adequada no item b. Portanto, não analisam os recursos coesivos que constroem a passagem do tempo.

Orientações sobre como interpretar as respostas e reorientar o planejamento com base nos resultados Recomenda-se que os alunos sejam levados a analisar os marcadores de tempo em textos ficcionais em atividades de leitura desses textos. Perguntas do tipo: “O que acontece primeiro? E depois? e por último?” e “Que palavras ou expressões temporais indicam essa sequência de fatos?” ajudam os alunos a perceber a importância desses marcadores na articulação das partes do texto.

Time to Share- 1º bimestre - Língua Inglesa - 8º ano - BY NC 3.0BR

[...] “What’s your name?” he asked.

“Wendy Moira Angela Darling,” she replied with some satisfaction. “What is your name?”

“Peter Pan.”

She was already sure that he must be Peter, but it did seem a comparatively short name.

“Is that all?”

“Yes,” he said rather sharply. He felt for the first time that it was a shortish name. [...]

She asked where he lived.

“Second to the right,” said Peter, “and then straight on till morning.”

“What a funny address!”

Peter had a sinking. For the first time he felt that perhaps it was a funny address.

“No, it isn't,” he said. [...]

When people in our set are introduced, it is customary for them to ask each other’s age, and so Wendy, _________ always liked to do the correct thing, asked Peter how old he was. [...]

“I don't know,” he replied uneasily, “but I am quite young.”

BARRIE, J. M. Peter Pan. Available at: . Accessed on: Nov. 3, 2018.

Glossário comparatively: relativamente customary: habitual, de costume perhaps: talvez replied: respondeu sharply: bruscamente shortish: curto sinking: percepção da realidade straight on: direto till: até uneasily: desconfortavelmente young: novo, jovem

According to the story, what can you say about Peter Pan?



( a )

He was uncomfortable to answer Wendy’s questions.

( b )

He was angry with Wendy because she didn’t let him speak. 

( c )

He was sad because Wendy wasn’t interested in talking to him. 

( d )

He answered the questions fast because he had to go back home.

Resposta:

Objeto(s) de conhecimento Construção de sentidos por meio de inferências e reconhecimento de implícitos

Habilidade (EF08LI05) Inferir informações e relações que não aparecem de modo explícito no texto para construção de sentidos.

Tipo de questão Múltipla escolha

Unidade Unidade 2

Justificativas a De fato, Peter Pan estava se sentindo desconfortável ao responder às questões de Wendy – o que se percebe pela forma como suas ações são descritas no texto: “[...] he said rather sharply.”; “[...] he replied uneasily [...]”. b Não há indicações no texto de que Wendy não deixava Peter Pan falar; pelo contrário, ela o incentivava a falar com suas perguntas. c Wendy se mostrou interessada em conversar com Peter Pan desde o início, ao contrário do que indica esta alternativa. d Não há indicações no texto de que Peter Pan estava ansioso para retornar à sua casa.

Orientações sobre como interpretar as respostas e reorientar o planejamento com base nos resultados Nessa atividade, espera-se que, por meio da compreensão do texto lido, o estudante infira a única informação correta. Caso isso não ocorra, é necessário verificar se a dificuldade surgiu pelo fato de ele não estar habituado a interpretar textos de língua inglesa ou de não dominar a habilidade de inferir informações implícitas. De qualquer maneira, é essencial promover atividades de leitura em sala de aula e, durante essa prática, incentivar a localização de itens no texto e a compreensão geral de seu sentido por meio de inferências.

Time to Share- 1º bimestre - Língua Inglesa - 6º ano - BY NC 3.0BR

Observe o texto a seguir. Ele é 



( a )

um verbete de dicionário bilíngue. 

( b )

uma entrada em uma enciclopédia. 

( c )

um verbete de dicionário monolíngue. 

( d )

um verbete de dicionário bilíngue ilustrado.

Resposta:

Objeto(s) de conhecimento Compreensão geral e específica: leitura rápida (skimming, scanning)

Habilidade (EF06LI08) Identificar o assunto de um texto, reconhecendo sua organização textual e palavras cognatas.

Tipo de questão Múltipla escolha Unidade Unidade 1 

Justificativas Resposta: A

a Trata-se de um verbete de dicionário bilíngue, pois apresenta definições da palavra English em português, com exemplos em inglês.

b Não se trata de uma entrada em uma enciclopédia, pois tem o foco na palavra em si: em seu significado e em sua tradução.

c Não se trata de um verbete de dicionário monolíngue, pois apresenta informações sobre a palavra em duas línguas distintas.

d Não se trata de um verbete de dicionário bilíngue ilustrado, pois, embora apresente informações em duas línguas, não contém ilustrações.

Orientações sobre como interpretar as respostas e reorientar o planejamento com base nos resultados Caso os estudantes não assinalem a resposta correta, é possível que não se recordem dos tipos de dicionário vistos na Unidade 0 nem das principais características que os distinguem. No caso, pode ser interessante retomar esse conteúdo valendo-se de atividades práticas, como a consulta a dicionários diversos. Ao manusear e folhear dicionários de diferentes línguas, características e anos de publicação, os estudantes entram em contato com as particularidades de cada um deles e, consequentemente, as internalizam melhor.

Ápis - Matemática - 1º ano - BY NC 3.0BR

PEDRO ESTÁ FAZENDO SUA LIÇÃO DE CASA. VEJA A CENA.

A MESA ESTÁ LOCALIZADA: 



( a )

ATRÁS DE PEDRO. 

( b )

NA FRENTE DE PEDRO. 

( c )

À DIREITA DE PEDRO. 

( d )

À ESQUERDA DE PEDRO.

Resposta:

Resposta: B.

Objeto de conhecimento (BNCC) :  Localização de objetos e de pessoas no espaço, utilizando diversos pontos de referência e vocabulário apropriado.

Habilidade (BNCC) (EF01MA12) Descrever a localização de pessoas e de objetos no espaço segundo um dado ponto de referência, compreendendo que, para a utilização de termos que se referem à posição, como direita, esquerda, em cima, embaixo, é necessário explicitar-se o referencial.

Tipo de questão Múltipla escolha

Unidade  1

Justificativa​

A. O aluno pode ter compreendido de maneira equivocada o ponto de referência e respondido essa alternativa pensando em “Pedro está atrás da mesa” ou pode ainda não ser capaz de identificar os conceitos de atrás e na frente.

B. O aluno considerou a localização da mesa em relação a Pedro, que é o ponto de referência, percebendo que ela está na frente dele.

C. O aluno não conseguiu identificar a localização da mesa em relação à Pedro, que é o ponto de referência.

D. O aluno não conseguiu identificar a localização da mesa em relação à Pedro, que é o ponto de referência.

Orientação para pautar o planejamento de retomada do objeto de conhecimento e da habilidade relacionada, se necessário De acordo com a resposta do aluno, proponha experimentações que permitam a exploração dos conceitos de localização e de diferentes pontos de referência, utilizando as nomenclaturas adequadas. Por exemplo: peça ao aluno que posicione um objeto na sua frente e outro objeto atrás dele. Em seguida, peça a ele que posicione um objeto na frente de um colega e outro objeto atrás dele. Depois, peça a ele que posicione um objeto à sua direita e outro objeto à esquerda do colega. Também é possível pedir ao aluno que descreva a posição de um objeto em relação a um colega, utilizando os termos na frente, atrás, à esquerda e à direita.

Avaliação Integrada de Aprendizagem - PNLD 2020 Interdisciplinar - 7º ano - BY NC 3.0BR

Leia o texto.

Dona Cotinha, Tom e o gato Joca

Em frente à minha casa tem outra casa, pequena, de madeira, azul com janelas brancas. Está no fim de um terreno enorme com muitas árvores. Para mim aquilo é o que chamam de floresta. Tom diz que é um quintal. Ali mora dona Cotinha, uma velhinha que tem cabelos lilás e dirige um Fusquinha vermelho. Esse passou a ser meu esconderijo. Dona Cotinha sempre aparece com um prato de comida. Diz:

— Vem, gatinho. Olha só o que eu trouxe para você. [...]

— Bom dia, menino — disse ela. — Já que está em frente à minha casa, faça uma gentileza e abra o portão.

Tom obedeceu. Dona Cotinha afagou minha cabeça e perguntou:

— Este gatinho é seu?

— Sim, senhora.

— Ele é muito educado.

— Obrigado — disse eu, na minha voz de gato.

— No primeiro dia que o vi por aqui, ele entrou na casa e cheirou tudo. Agora, sempre deixo uma comidinha para ele! [...]

Dona Cotinha acabava de denunciar minha gula e o aumento de peso. Continuou:

— Passe aqui no fim da tarde. Faço um bolo de fubá com cobertura de chocolate que é de dar água na boca.

Com água na boca fiquei eu. Naquela tarde voltamos à casa de dona Cotinha. Ela foi logo mostrando pro Tom uma coleção de carrinhos antigos. Era do filho dela, que morreu bem pequeno. Depois nos levou para uma sala repleta de livros. Tom ficou de boca aberta e perguntou:

— A senhora já leu todos esses livros?

— Praticamente todos. Ler foi minha diversão, meu bom vício. Infelizmente meus olhos não ajudam mais. Essa pilha que você está vendo aqui ainda nem foi tocada.

Tom começou a ler em voz alta, e sua voz encheu a sala de seres fantásticos. O tempo parou.

Desse dia em diante, à tardinha, eu e Tom tínhamos uma missão. Abrir os livros de dona Cotinha e deixar os personagens passearem pela casa mágica, no meio da floresta da cidade de pedra.

Dona Cotinha, Tom e o Gato Joca. Disponível em: . Acesso em: 8 out. 2016. Adaptado. 

Quem é o narrador dessa história?

 



( a )

O gato Joca

( b )

Tom

( c )

Dona Cotinha

( d )

O filho de dona Cotinha

Avaliação Integrada de Aprendizagem - PNLD 2020 Interdisciplinar - 9º ano - BY NC 3.0BR

Leia o poema.

Noturno

O apito do trem perfura a noite. As paredes do quarto se encolhem. O mundo fica mais vasto. 

Tantos livros para ler tantas ruas por andar tantas mulheres a possuir... 

Quando chega a madrugada o adolescente adormece por fim certo de que o dia vai nascer especialmente para ele.

PAES, José Paulo. Noturno. In: Prosas seguidas de Odes mínimas. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

Releia os seguintes versos.

As paredes do quarto se encolhem. O mundo fica mais vasto. 

Pode-se afirmar que, nesses versos, é estabelecida uma ideia de



( a )

continuação, pois o quarto diminui ao mesmo tempo em que o mundo se encolhe. 

( b )

consequência, pois o encolhimento do quarto é uma consequência da imensidão do mundo. 

( c )

alternativa, pois enquanto o quarto se encolhe, pode-se procurar espaço na vastidão do mundo. 

( d )

oposição entre o encolhimento das paredes do quarto e a vastidão do mundo.

Resposta:

No segundo e terceiro versos da primeira estrofe do poema é estabelecida uma ideia de oposição entre o encolhimento das paredes do quarto e a vastidão do mundo.

Companhia das Ciências - Ciências - 8º ano - BY NC 3.0BR

O quadro a seguir representa as quatro categorias de plantas existentesseparadas em dois grandes grupos (I e II), relativos aos seus diferentes tipos de reprodução.

a) Qual é a diferença no ciclo de vida, em relação ao deslocamento dos gametas, dos vegetais do grupo II em relação aos do grupo I?

b) A presença de sementes é observada nas plantas de qual grupo? Explique a importância dessa estrutura para a reprodução dessas plantas.

Resposta:

Objeto(s) de conhecimento Mecanismos reprodutivos

Habilidade (EF08CI07) Comparar diferentes processos reprodutivos em plantas e animais em relação aos mecanismos adaptativos e evolutivos.

Tipo de questão Aberta

Capítulo/Unidade 1/1

Grade de correção

100% O estudante respondeu corretamente ao que foi solicitado. a) A diferença no ciclo de vida, em relação ao deslocamento dos gametas, é a independência da água na chegada do gameta masculino até o gameta feminino, no grupo II, devido à existência do grão de pólen e do tubo polínico nas gimnospermas e angiospermas. b) Grupo II. A semente fornece proteção e alimento para o embrião e ajuda na dispersão dessas plantas, pois pode germinar longe da planta que lhe deu origem.

50% O estudante respondeu corretamente ao que foi solicitado em apenas um dos itens ou parcialmente para os dois itens.

0% O estudante não respondeu corretamente ao que foi solicitado.

Companhia das Ciências - Ciências - 7º ano - BY NC 3.0BR

Observe a fotografia abaixo, que mostra a ocorrência de um fenômeno natural.

a) Qual fenômeno natural é mostrado nessa fotografia?

b) Por que a possibilidade de ocorrer esse fenômeno natural no Brasil é muito baixa?

Resposta:

Objeto(s) de conhecimento Fenômenos naturais (vulcões, terremotos e tsunamis)

Habilidade (EF07CI15) Interpretar fenômenos naturais (como vulcões, terremotos e tsunamis) e justificar a rara ocorrência desses fenômenos no Brasil, com base no modelo das placas tectônicas.

Tipo de questão Aberta Capítulo/Unidade 1/1

Grade de correção 100% O estudante respondeu corretamente ao que foi solicitado. a) A fotografia mostra um tsunami. b) A possibilidade de ocorrer tsunamis no Brasil é muito baixa porque esse fenômeno se dá devido aos intensos tremores (ondas sísmicas) gerados pelo movimento das placas tectônicas. O deslocamento dessas placas provoca a propagação de energia e vibrações no solo oceânico (fundo do mar), que se propagam na água para a região costeira, gerando ondas que podem atingir grandes amplitudes. Esses tremores ocorrem quando uma placa desliza ao lado de outra, ou quando uma placa se sobrepõe a uma outra. No caso do Brasil, além de ele estar localizado na parte central de uma dessas placas, a placa Sul-Americana faz limite, no meio do oceano Atlântico, com a placa Africana. Essas duas placas estão se afastando, tornando muito remota a ocorrência de grandes terremotos e, consequentemente, de tsunamis. 50% O estudante respondeu corretamente ao que foi solicitado em apenas um dos itens ou parcialmente para os dois itens. 0% O estudante não respondeu corretamente ao que foi solicitado.

Geografia: Território e Sociedade - Geografia - 8º ano - BY NC 3.0BR

Leia o texto a seguir:

Na década de 80, o cenário mundial sofreu significativas transformações tecnológicas, organizacionais, geopolíticas, informacionais, comerciais e financeiras, institucionais, culturais, sociais inter-relacionadas. Objetivando entender as particularidades da nova ordem mundial em conformação, autores de diferentes áreas vêm cunhando designações e desenvolvendo formas de categorizá-la. Tais esforços tendem sempre a refletir as próprias preocupações e enfoques particulares das áreas a que tais autores pertencem.

LASTRES, Helena M. M. Informação e conhecimento na nova ordem mundial. Disponível em . Acesso em: 10 out. 2018.

No período anterior à década de 1980, uma forma comum de se regionalizar o mundo era em países de 1º mundo (capitalistas), 2º mundo (socialistas) e 3º mundo (capitalistas pobres). Sendo assim, responda:

a) Explique como as mudanças citadas no texto modificaram essas regionalizações.

b) Indique qual é a regionalização econômica mundial mais aceita atualmente.

c) Aponte onde o Brasil se encaixa nessa nova divisão e justifique sua resposta.

Resposta:

Objeto(s) de conhecimento Corporações e organismos internacionais e do Brasil na ordem econômica mundial

Habilidade (EF08GE08) Analisar a situação do Brasil e de outros países da América Latina e da África, assim como da potência estadunidense na ordem mundial do pós-guerra.

Tipo de questão Aberta

Capítulo/Unidade C1/U1

Grade de correção 100% O aluno indica, em suas respostas: a) A resposta a esse questionamento é abrangente e pode envolver diversos fatores. Entre eles, é possível destacar a ascensão do modelo capitalista em detrimento do socialista e o advento da globalização, que facilita e potencializa os fluxos materiais e imateriais pelo mundo. b) Países desenvolvidos, emergentes e subdesenvolvidos. c) O Brasil se enquadra entre os países emergentes, porque mesmo não havendo um alto índice de renda per capita, possui certo desenvolvimento tecnológico e é um país industrializado.

0% O aluno conseguiu responder satisfatoriamente a pelo menos uma das questões e se aproximou de pelo menos uma entre as outras perguntas restantes.

0% O aluno não conseguiu responder satisfatoriamente a nenhuma das três questões, demonstrando dificuldade em compreender as regionalizações atuais e históricas utilizadas na geopolítica.

Orientações sobre como interpretar as respostas e reorientar o planejamento com base nos resultados O objetivo do item é avaliar a compreensão do estudante acerca das regionalizações possíveis nos âmbitos histórico e contemporâneo. Caso a análise das respostas não seja considerada satisfatória, peça aos alunos que façam uma pesquisa em casa sobre como é o processo de produção de algum gadget (produto tecnológico) que utilizam cotidianamente, por exemplo um smartphone. Oriente-os questionando de onde vieram as matérias-primas, onde ocorre a produção/montagem do produto e de onde vem a tecnologia nele agregada. Por fim, questione-os sobre os motivos da descentralização dessa produção, ou seja, da participação de vários países. Assim, terão recursos para discutir e entender qual é o papel de cada país nas diferentes etapas da fabricação do produto em questão.

Geografia: Território e Sociedade - Geografia - 6º ano - BY NC 3.0BR

Observe as duas paisagens abaixo.

a) Caracterize as modificações nas paisagens, comparando as imagens A e B.

b) No seu espaço de vivência ocorrem modificações como as que você observa nas imagens A e B?

Resposta:

Objeto de conhecimento Identidade sociocultural

Habilidade (EF06GE01) Comparar modificações das paisagens nos lugares de vivência e os usos desses lugares em diferentes tempos.

Tipo de questão Aberta Capítulo/Unidade C1/ U1

Grade de correção 100% No item a o aluno caracteriza as modificações nas paisagens comparando a imagem A com a imagem B corretamente: no caso da A, aponta a ocorrência de estragos nos muros de contenção do curso de água e o asfalto da avenida, que cedeu parcialmente; no caso da imagem B, o aluno indica a reconstrução da avenida e dos muros de contenção, com a implementação de vigas entre os muros das duas margens, para conter a pressão das águas. No item b, o aluno relaciona as situações apresentadas nas imagens ao seu lugar de vivência, apontando ao menos modificações semelhantes, como a reconstrução de pontes, após chuvas intensas, ou de construções situadas em encostas, ou ainda, a recuperação do asfalto de vias públicas, contrapondo essa situação à de uma rua ou avenida esburacada, por exemplo. 50% Uma parte da habilidade é contemplada caso o aluno consiga caracterizar parcialmente as modificações e apresentar uma situação semelhante àquelas presentes nas imagens. 0% O aluno não consegue comparar as duas paisagens nem identificar quais tipos de transformações ocorreram. Também não apresenta situações semelhantes de seu espaço de vivência.

História.doc - História - 9º ano - BY NC 3.0BR

Leia o texto abaixo:

Os alemães tentaram várias estratégias desse tipo [isto é, de auxiliar rebeliões e revoltas por certos grupos no interior de um Estado] durante a Primeira Guerra [...], mas [...] falhou por falta de alicerces materiais mais sólidos, mesmo com todo o esforço alemão. Como indica o autor, a única aposta alemã em termos de subversão interna que deu certo foi o envio de Lenin para a Rússia e o apoio aos bolcheviques entre 1917 e 1918, mas foi algo isolado e que só funcionou pelas condições especiais da Rússia naquele momento.

BERTONHA, João Fábio. O Império otomano e a Primeira Guerra Mundial. Tempo, Niterói, v. 18, n. 33, p. 269-273, 2012 . Disponível em: . Acesso em: 1º out. 2018.

Subversão: insubordinação; revolta

Quais eram “as condições especiais da Rússia” entre 1917 e 1918 que permitiram o sucesso da estratégia alemã “em termos de subversão interna”, contribuindo para a retirada desse país na Primeira Guerra Mundial?

Resposta:

Objeto(s) de conhecimento O mundo em conflito: a Primeira Guerra Mundial A Revolução Russa A crise capitalista de 1929

Habilidade (EF09HI10) Identificar e relacionar as dinâmicas do capitalismo e suas crises, os grandes conflitos mundiais e os conflitos vivenciados na Europa.

Tipo de questão Aberta Capítulo 1

Grade de correção 100% Durante a Primeira Guerra Mundial, a Rússia passava por sérios problemas internos. A revolta popular tomou as ruas, o czar foi afastado do poder e um governo provisório foi estabelecido. Naquele momento, com o apoio dos alemães, Lenin, líder revolucionário e exilado na Europa, retornou para a Rússia e liderou a Revolução de Outubro de 1917. Esse processo culminou com o fim do governo provisório e buscou instalar o socialismo como forma de governo. A Rússia, gerida pelos revolucionários bolcheviques, diante das demandas de operários, camponeses e soldados, negociou a sua saída da Primeira Guerra Mundial. A Alemanha, assim, concentrou as forças da Frente Ocidental do conflito, que estava estagnado desde 1916. 50% A resposta deverá ser considerada parcialmente correta caso o aluno aborde o contexto da Rússia em 1917-1918 mas não relacione o auxílio concedido pelos alemães aos bolcheviques, na Revolução de 1917, à intenção da Alemanha de retirar a Rússia da Primeira Guerra Mundial. 0% O aluno não apresenta o contexto da Rússia em 1917 e 1918 nem o papel da Alemanha no retorno de Lenin à Rússia no apoio aos bolcheviques como forma de causar a saída do país da Primeira Guerra Mundial.

Orientações sobre como interpretar as respostas e reorientar o planejamento com base nos resultados Caso a turma apresente rendimento insuficiente na questão, retome as frentes de batalha estabelecidas pela Alemanha na Europa: a frente Ocidental e a frente Oriental. Aborde a situação da Alemanha na Primeira Guerra e aponte para a estagnação na frente Ocidental contra a França e a Inglaterra, em que foram estabelecidas trincheiras – a chamada guerra de posições. Exponha a necessidade dos alemães de liberar a frente Oriental para concentrar todas as suas forças na frente Ocidental e a estratégia adotada pelos alemães de retirar a Rússia do conflito – tendo em vista o seu contexto interno. Dessa forma, espera-se que os alunos consigam compreender a importância que a saída da Rússia da guerra teve para a Alemanha durante esse conflito.

História.doc - História - 6º ano - BY NC 3.0BR

A seguir, leia o trecho de um documento de batismo, ocorrido na Freguesia do Santíssimo Sacramento de Cantagalo.

Aos vinte e dois de setembro de mil oitocentos e trinta e oito, batizei e pus os Santos Óleos no inocente Jeronimo, filho legítimo de Francisco Fagundes do Amaral e Mafalda Maria de Jesus, nascido a vinte e dois de outubro de mil oitocentos e trinta e sete [...].

Livro de assentos de batizado da Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento de Cantagalo. 1838 a 1842. Arquivo da Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento de Cantagalo. Livro 1.

Identifique a década, o século e o milênio em que Jerônimo foi batizado.

Resposta:

Objeto(s) de conhecimento A questão do tempo, sincronias e diacronias: reflexões sobre o sentido das cronologias

Habilidade (EF06HI01) Identificar diferentes formas de compreensão da noção de tempo e de periodização dos processos históricos (continuidades e rupturas).

Tipo de questão Aberta Capítulo/Unidade Capítulo 1 – Unidade 1

Grade de correção 100% Década: 1830; Século: XIX; Milênio: 2º. 50% O aluno não desenvolve a resposta satisfatoriamente e relaciona somente dois dos itens pedidos. 0% O aluno não sabe identificar nenhum dos itens (década, século e milênio) contido no documento histórico.

Orientações sobre como interpretar as respostas e reorientar o planejamento com base nos resultados Explique ao aluno, em sala de aula, que o documento apresentado na questão é um assento (registro) de batismo católico, e que nessa época, no Brasil, não havia registro civil (tornando-se obrigatório após a proclamação da República, em 1889). Essa documentação eclesial era, naquela época, a única forma de registro de uma criança recém-nascida. Aponte, ao longo de sua explicação em sala de aula, que há duas datas no documento: a data em que ele foi redigido (22 de setembro de 1838) e a data do nascimento da criança (22 de outubro de 1837), e, a partir dessa observação, retorne ao material estudado sobre cronologia histórica, reforçando os conceitos e as formas de datação histórica (década, século e milênio). Dessa forma, o aluno terá mais subsídios para identificar datas e períodos específicos da história, familiarizando-se com o método e com a linguagem da disciplina.

Matemática essencial - Matemática - 7º ano - BY NC 3.0BR

Os itens a seguir contêm frações. Observe, atentamente, e marque um X naquele que apresenta apenas frações decimais.



( a )

( b )

( c )

( d )

Resposta:

Habilidade avaliada: Identificar, em um grupo de frações, aquelas que são decimais.

Essa questão se relaciona às seguintes habilidades da BNCC:

(EF07MA05) Resolver um mesmo problema utilizando diferentes algoritmos.

(EF07MA06) Reconhecer que as resoluções de um grupo de problemas que têm a mesma estrutura podem ser obtidas utilizando os mesmos procedimentos.

Resposta: Alternativa C.

Alunos que optaram pelas alternativas A ou D, provavelmente, não reconhecem a fração decimal como aquela cujo denominador é 10, 100, 1000,..., ou então consideraram as frações equivalentes a essas, obtendo um denominador múltiplo de 10. Como as alternativas A e D incluem frações decimais (), é importante verificar se a escolha foi aleatória ou se houve realmente esse equívoco. Nesse caso, reforce o conceito de fração decimal, salientando que frações decimais podem ser representadas por números na forma decimal, por exemplo, . Considere também, nesses casos, a possibilidade de uma resposta incorreta resultante de uma leitura equivocada do enunciado, não levando em consideração a restrição. Nesse caso, oriente os alunos a lerem com atenção o enunciado e frisar os termos restritivos.

Alunos que consideraram a alternativa B como correta, provavelmente, confundiram o conceito de fração decimal ou confundiram numerador e denominador. Procure determinar qual das duas possibilidades ocorreu e retome o conceito de fração e sua representação e o significado de fração decimal. Em todos os casos, apresente questões similares para certificar-se de que entenderam.

Matemática essencial - Matemática - 8º ano - BY NC 3.0BR

Utilizando régua e transferidor, construa os ângulos indicados a seguir. Depois, apenas com régua e compasso, trace a bissetriz de cada ângulo.

a) 40°

b) 70°

c) 110°

d) 160°

Resposta:

Habilidade avaliada: construir ângulos e bissetrizes usando os instrumentos de desenho — régua, transferidor e compasso.

Essa questão se relaciona à habilidade EF05MA15 da BNCC: construir, utilizando instrumentos de desenho ou softwares de geometria dinâmica, mediatriz, bissetriz, ângulos de 90°, 60°, 45° e 30° e polígonos regulares.

Resposta: Espera-se que o aluno construa os ângulos indicados e a respectiva bissetriz se valendo dos instrumentos sugeridos.

a) 40°, com a bissetriz formando dois ângulos de 20° cada.

b) 70°, com a bissetriz formando dois ângulos de 35° cada.

c) 110°, com a bissetriz formando dois ângulos de 55° cada

d) 160°, com a bissetriz formando dois ângulos de 80° cada.

Embora os ângulos possam ter sido construídos em diferentes posições, a abertura deve ser indicada em cada item.

Caso o aluno realize construções equivocadas ou apresente dificuldades durante o processo de construção, possivelmente está com dificuldade na manipulação dos instrumentos e/ou em relação à definição ou construção de ângulos ou bissetrizes.

Para auxiliar no manejo das ferramentas, é importante propor outras atividades práticas que estimulem o uso da régua e do compasso, bem como retomar a forma de manuseio desses instrumentos de forma correta.

Os conceitos de ângulos e bissetrizes podem ser recuperados por meio de representações na lousa. Outra possibilidade é usar materiais concretos para evidenciar o que são ângulos e bissetrizes partindo da construção e da dobradura de figuras planas utilizando diferentes materiais, como cartolinas, papéis com diferentes gramaturas, entre outros.

Português: Conexão e uso - Língua Portuguesa - 7º ano - BY NC 3.0BR

Observe este trecho de uma fotorreportagem.

Qual é a intenção principal dessa fotorreportagem? Quais elementos das fotografias contribuíram para a sua resposta?

Resposta:

Prática de Linguagem Leitura

Objeto(s) de conhecimento Estratégia de leitura: apreender os sentidos globais do texto.

Habilidade (EF69LP03) Identificar, em notícias, o fato central, suas principais circunstâncias e eventuais decorrências; em reportagens e fotorreportagens o fato ou a temática retratada e a perspectiva de abordagem, em entrevistas os principais temas/subtemas abordados, explicações dadas ou teses defendidas em relação a esses subtemas; em tirinhas, memes, charge, a crítica, ironia ou humor presente.

Tipo de questão Aberta Capítulo/Unidade Unidade 1

Grade de correção 100% O aluno identifica a intenção da fotorreportagem em retratar os animais no meio ambiente. Observa que os animais são o foco, por eles estarem no centro das imagens e devido ao fundo de todas elas estar desfocado, embaçado. Além disso, ele pode incluir, em sua resposta, que o fotógrafo se valeu do plano detalhe. 50% O aluno atende parcialmente à questão se apenas responde qual é a intenção da fotorreportagem, sem citar os elementos das fotografias que contribuíram para a sua resposta. 0% O aluno não atende à questão quando sua resposta não tem coerência com o enunciado.

Orientações sobre como interpretar as respostas e reorientar o planejamento com base nos resultados Proponha diferentes atividades de observação de fotorreportagens ou fotonotícias, de modo a instigar os alunos a identificar possíveis intenções ao se usar determinados recursos. Incentive-os também a relacionar a imagem a algum fato.

Português: Conexão e uso - Língua Portuguesa - 8º ano - BY NC 3.0BR

Publicado em 1943, O Pequeno Príncipe [...] de Antoine de Saint-Exupéry, é uma das obras mais amadas por adultos e crianças de todo o mundo [...]

Antoine fez um trabalho incrível que revolucionou a literatura infantil. A forma como a história é narrada e os personagens ricos em conhecimento nos fazem pensar na maneira como vivemos e em como o mundo é governado.

(DANQUIMAIA, Beatriz. 5 motivos para ler O Pequeno Príncipe, 26 nov. 2015. Disponível em: . Acesso em: 16 out. 2018.)

Imagine que você precise escrever uma resenha como essa para ser exposta na Feira de Leitura destinada aos alunos de 6 a 8 anos de sua escola. Escolha um objeto cultural (um filme, um livro, um game, etc.) e produza uma breve resenha sobre ele, a fim de que o público da Feira se sinta motivado a ler ou ver o que você recomenda.

a) Informe os dados do que pretende resenhar.

b) Acrescente informações que levem os alunos a se interessar pelo que você recomenda.

c) Utilize uma linguagem que seja adequada ao universo infantil.

Resposta:

Prática de Linguagem Produção de textos Objeto(s) de conhecimento Estratégias de escrita: textualização, revisão e edição

Habilidade (EF89LP26) Produzir resenhas, a partir das notas e/ou esquemas feitos, com o manejo adequado das vozes envolvidas (do resenhador, do autor da obra e, se for o caso, também dos autores citados na obra resenhada), por meio do uso de paráfrases, marcas do discurso reportado e citações. Página de referência utilizada na elaboração da questão 38

Tipo de questão Aberta

Capítulo/Unidade Unidade 1

Grade de correção 100% Os alunos produziram satisfatoriamente a resenha crítica conforme as orientações indicadas no comando. 50% Os alunos produziram a resenha crítica de forma parcialmente correta, com elementos insuficientes e pouca motivação para o leitor. 0% Os alunos não produziram a resenha; apenas informaram os dados do objeto cultural.

Orientações sobre como interpretar as respostas e reorientar o planejamento com base nos resultados No caso em que o aluno apresenta dificuldade em produzir adequadamente uma resenha crítica, escolha um exemplo de resenha e a apresente a ele, para que a leia para a turma. Em seguida, peça-lhe que a adapte a um público diferente do previsto na resenha. Antes que ele realize a adaptação do texto, faça as seguintes perguntas, a fim de orientá-lo na edição: “Que linguagem você poderá usar a fim de que seu público compreenda o texto?”; “Quais informações podem ser retiradas?”; “Que informações podem ser acrescentadas?”.

Time to Share- 1º bimestre - Língua Inglesa - 7º ano - BY NC 3.0BR

Imagine que você encontrou o texto abaixo em um website. Observe o título, o vocabulário que conhece e palavras que se repetem. A partir disso, responda: qual é o assunto tratado pelo texto?



( a )

A língua inglesa e sua presença na internet. 

( b )

A importância da língua inglesa em diversos contextos. 

( c )

A utilização da língua inglesa, que se restringe a contextos específicos. 

( d )

A importância de conhecer outras línguas, além do inglês, no mundo atual.

Resposta:

Objeto(s) de conhecimento Compreensão geral e específica: leitura rápida (skimming, scanning)

Habilidade (EF07LI06) Antecipar o sentido global de textos em língua inglesa por inferências, com base em leitura rápida, observando títulos, primeiras e últimas frases de parágrafos e palavraschave repetidas.

Tipo de questão Múltipla escolha Unidade Unidade 1

Justificativas Resposta: B

a. O texto trata da presença da língua inglesa não apenas na internet, mas também em outros contextos.

b. De fato, o texto trata da importância da língua inglesa em diversos contextos.

c. O texto trata do oposto disso, abordando diversos e variados contextos em que a língua inglesa é utilizada.

d. Essa informação não é mencionada no texto, que trata do inglês no mundo atual.

Orientações sobre como interpretar as respostas e reorientar o planejamento com base nos resultados Caso o estudante não selecione a resposta correta, será necessário reforçar as atividades de reconhecimento e identificação da estrutura e de palavras-chave de textos para a criação de inferências e a antecipação de seu assunto geral. Para isso, pode-se propor diversas atividades de leitura nas quais os estudantes precisem observar as palavras que se repetem, bem como outras informações relevantes, para que possam relacioná-las à compreensão global dos textos. Atividades que envolvam compartilhamento em grupos são importantes nesse momento, pois oferecem aos estudantes novos pontos de vista e podem orientá-los com relação à forma de agir ao se depararem com textos em inglês.

Time to Share- 1º bimestre - Língua Inglesa - 9º ano - BY NC 3.0BR

How can we improve our musical intelligence?

[...] We know some people are born with a natural musical ability. In fact, there are some astounding examples, such as Anthony Thomas “Tony” DeBlois.

Tony is a blind boy with Autistic Spectrum Disorder (ASD). Tony knows how to play over 20 musical instruments and can play over 8,000 compositions from memory.

The fact that you came into the world without an early, prodigious interest in music doesn’t mean you can’t acquire good musical intelligence. Actually, what you need is an educational and family environment that fosters its development. [...]

Available at: . Accessed on: Oct. 15, 2018.

Glossário acquire: adquirir astounding: impressionantes blind: pessoa com deficiência visual development: desenvolvimento environment: ambiente foster: estimule improve: melhorar, aprimorar such as: tal como

According to the text, there are some people who were born with a natural musical intelligence. What example was used to support this idea?



( a )

Anthony Thomas DeBlois’ ability to listen to music every day.

( b )

Anthony Thomas DeBlois’ access to music since he was younger.

( c )

Anthony Thomas DeBlois’ access to many instruments and compositions.

( d )

Anthony Thomas DeBlois’ ability to play many instruments and compositions.

Resposta:

Objeto(s) de conhecimento Recursos de argumentação

Habilidade (EF09LI07) Identificar argumentos principais e as evidências/exemplos que os sustentam.

Tipo de questão Múltipla escolha Unidade Unidade 2

Justificativas Resposta: D

a. Não há indicações no texto de que Anthony ouve música todos os dias. Além disso, esse não seria um exemplo de inteligência musical. b. Também não está indicado no texto que Anthony tem acesso à música desde mais jovem – apenas que ele tem grande habilidade com instrumentos musicais. c. O fato de ele ter acesso a instrumentos e composições não seria um exemplo de inteligência musical – há pessoas que têm o mesmo acesso e não são sensíveis à música. d. No texto, o exemplo de Anthony, um menino com deficiência visual, que possui a habilidade de tocar diversos instrumentos e composições musicais, foi utilizado para ilustrar o conceito de inteligência musical.

Orientações sobre como interpretar as respostas e reorientar o planejamento com base nos resultados Para realizar essa atividade corretamente, espera-se que o estudante compreenda o texto em questão e localize o principal exemplo utilizado para defender o ponto de vista tratado. Caso assinale a alternativa incorreta, será preciso verificar se o texto foi, de fato, compreendido e/ou se o problema ocorreu porque ele não soube como identificar argumentos e exemplos. Em ambos os casos, recomenda-se a prática constante da habilidade de leitura e compreensão em sala de aula, além do reconhecimento e localização de informações específicas relacionadas à argumentação em textos diversos. Pode-se propor, por exemplo, que a turma crie parágrafos oferecendo seu ponto de vista sobre assuntos específicos, troque as produções entre si e, então, cada estudante deve identificar em sua leitura o principal argumento/exemplo que sustenta a opinião do colega.

Ápis - Geografia - 2º ano - BY NC 3.0BR

ALICE MUDOU COM SUA FAMÍLIA PARA O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL NO INÍCIO DO ANO. NA NOVA ESCOLA, ALICE CONHECEU INÁCIO, COLEGA NASCIDO NO RIO GRANDE DO SUL E QUE APRESENTOU PARA ELA O CHIMARRÃO, BEBIDA TÍPICA DO ESTADO. ALÉM DISSO, INÁCIO CONTOU PARA ELA QUE ALI FAZ MUITO FRIO NO INVERNO.

EM TROCA, ALICE OFERECEU A INÁCIO ALGUNS ACARAJÉS, COMIDA TÍPICA DA BAHIA, LUGAR ONDE ELA NASCEU E MORAVA ANTES.

ASSINALE COM UM X A ALTERNATIVA QUE INDICA UMA INFORMAÇÃO CORRETA.



( a )

ALICE JÁ CONSUMIA CHIMARRÃO QUANDO CONHECEU INÁCIO. 

( b )

INÁCIO E ALICE NASCERAM NO MESMO ESTADO. 

( c )

INÁCIO E ALICE NASCERAM EM ESTADOS COM OS MESMOS COSTUMES. 

( d )

INÁCIO E ALICE NASCERAM EM ESTADOS COM COSTUMES DIFERENTES.

Resposta:

Resposta - D

Objeto de conhecimento (BNCC) Convivência e interações entre pessoas na comunidade

Habilidade (BNCC) (EF02GE01) Descrever a história das migrações no bairro ou comunidade em que vive. (EF02GE02) Comparar costumes e tradições de diferentes populações inseridas no bairro ou comunidade em que vive, reconhecendo a importância do respeito às diferenças.

Tipo de questão Múltipla escolha

Capítulo 1

Justificativa

A O aluno que assinala esta alternativa não compreende que as personagens nasceram e viveram algum tempo em lugares com costumes e tradições diferentes.

B O aluno que assinala esta alternativa não compreende que as personagens nasceram em lugares diferentes.

C O aluno que assinala esta alternativa não compreende que os lugares possuem costumes e tradições diferentes.

D O aluno que assinala esta alternativa compreende que os lugares de origem das famílias possuem costumes e tradições diferentes.

Estes materiais são parte integrante das coleções da editora Saraiva. Eles poderão ser reproduzidos desde que o título das obras e suas respectivas autorias sejam sempre citadas