Em casa com a criançada

15 de abril, 2020 - Por e-docente

Compartilhar

Qual o professor que nunca ouviu algo do tipo: “como vocês dão conta de 20 alunos, quando dois filhos me deixam maluca”?  De fato, não é uma tarefa fácil dar conta de tantas crianças ao mesmo tempo, mas a realidade é que a grande maioria dos professores consegue lidar muito bem com essa realidade.

 

Quando se trata de crianças pequenas então, tem gente que se apavora. Como lidar com esses pequenos seres que tem uma energia fora do comum? Em época de isolamento social muitos pais estão à beira de um colapso. Como conter, divertir, entreter as crianças pequenas que não podem sair de casa? Como administrar o trabalho do lar e as crianças?

 

Concordamos que não é simples, além de tudo estamos todos bem sensíveis. Mas calma! Preparamos para vocês algumas dicas que podem auxiliar nesse momento de distanciamento social. Assim como os professores, os pais ou adultos que estão com a criançada, devem lançar mão de algo precioso: os combinados.

Combinar é acordar, fazer um trato. E vamos combinar que não há como estabelecer um combinado sozinho, é preciso parceria. Então vamos lá:

  1. Em primeiro lugar, evite as birras, as brigas. Quando a criança se exaltar, abaixe até a altura dos olhos dela, fale olho no olho e use um tom de voz baixo, isso ajuda a acalmá-la.
  2. Combine com a(s) criança(s) um dia antes o quer farão no dia seguinte. Isso ajuda a entender que haverá uma rotina.
  3. Como a criança pequena nem sempre tem a noção de tempo, manhã, tarde, noite; antes agora e depois, crie cartões com imagens ou desenhos com as atividades que, em geral, fazem durante o dia. Organize a sequência do dia junto com a criança, isso fará com que ela se comprometa com o que foi combinado.
  4. Estabeleça ao final de um dia ou de uma semana alguma atividade prazerosa para cumprirem juntos: como fazer um bolo, assistir um filme com pipoca… E lembre-se que, para chegarem a cumprir a atividade prazerosa o adulto terá que ter tempo para dar conta também dos seus afazeres, neste caso todos precisam colaborar.
  5. Nos momentos que precisar, por exemplo, fazer o almoço, convide a criança a estar junto. Enquanto você cozinha de verdade, ela cozinha de mentirinha. Essa atividade serve para meninas e meninos, afinal saber cozinhar deve ser um ato de todos, pois é um meio de sobrevivência. Faça o arroz ou qualquer outro alimento verbalizando o passo a passo, estimule a criança a fazer o mesmo. Nos dias subsequentes mude a ação, ela vai te dizendo quais os ingredientes e qual a ordem de cada um. Isso toma tempo, vocês estarão juntos e a brincadeira permanece.

Você deve estar pensando: “tudo bem, e depois que fizer tudo isso, o que mais farei? Criança e brincadeira são quase sinônimos, não é mesmo? Brincar é a tarefa da criança, é o fazer infantil, dá trabalho brincar, assim como dá prazer. Então de uma coisa os pais ou adultos ao redor não poderão fugir: tem que ter brincadeira.

Mas se eu não posso passar o dia a disposição da criançada, vamos tentar usar da criatividade. Vamos buscar fazer desses dias e dos afazeres domésticos, eternas brincadeiras?

Veja a programação que fizemos para uma semana! Em breve publicaremos dicas para mais semanas.

 

Primeira Semana

Segunda-feira:

Estabelecendo rotinas: pesquise com a criança em encartes, revistas, fotografias ou mesmo desenhe algumas atividades diárias, isso já é por si uma atividade que demanda tempo. De posse de várias fichas ou desenhos que incluem a rotina da criança (higiene, refeições, hora do brincar, assistir TV, usar tablet ou celular, dormir etc), monte com ela o varal da rotina do dia seguinte. Sempre que houver a quebra do combinado, faça com que ela consulte o varal. Exemplo:

Terça-feira

Contar história: combine que vai contar uma história surpreendente, “O caracol viajante” e não esqueça de dizer que a autora do livro é a  Sônia Junqueira, acesse a história completa no portal https://www.coletivoleitor.com.br/criancas-em-casa-o-que-fazer/. Antes de contar a história invista no cenário, feito principalmente com a criança. Combine que nessa história precisa ter um caracol e ele deve fazer um, se a criança não conhecer, mostre a foto que está no livro que você acessou. Deixe que a criança desenhe do jeito dela, mesmo que não se pareça com o caracol da história, considere-o. Se você está lavando roupa ou uma louça, coloque-a próximo a você e vá interagindo com a criança através da conversa? Está conseguindo fazer? O seu caracol tem a casa nas costas? De que cor irá pintar o seu caracol? Se a criança for rápida e você ainda precisar de tempo, invista nos demais itens do cenário. Vale lembrar que a criança pode desenhar, por exemplo: o morro.  E pode pegar  no quintal as folhas, pedras, galhos, ou seja, tudo que o caracol encontra pelo caminho. Na hora da Contação da história combinada anteriormente e seguida pelo varal, abra o portal do coletivo leitor no seu celular, tablet ou computador e comece a contar a história e a montar junto com a criança o cenário.

 Quarta-feira

Vamos conversar ao telefone? Pergunte como contou a história no dia anterior, qual recurso utilizou (celular, tablet…?) Diga que no tempo da vovó, quando criança, não havia celular, nem aplicativos de conversa/bate-papo como o WhatsApp. Pergunte se imagina como as pessoas se comunicavam. Fale um pouco sobre as curiosidades de outros tempos, como era o telefone, as cartas…  Pergunte se imagina como era um telefone com fio? Se tiver acesso a pesquisa por internet, mostre algumas fotos. Depois da conversa e de sanar as curiosidades, porque criança pequena é curiosa, proponha confeccionarem um telefone com fio. Use latinhas e barbante, se não houver barbante, peça licença ao varal e use a cordinha, em tempo de exclusão social, o improviso pode ser seu maior aliado.

 Quinta-feira

Brincando de Educação Física: já faz tempo que você adulto não faz um exercício físico, não é mesmo? Que tal propor que após as tarefas do dia vocês farão um circuito. Converse com a criança o que é um circuito? Pergunte se já fez algo parecido na escola, mostre as imagens de um possível circuito. Diga que nessa brincadeira ela será o professor e terá que pensar que circuito irá montar, para que vocês possam cumprir no espaço que tem disponível. Para ganhar tempo avise que como professor ele tem que fazer o planejamento. Dê uma folha e lápis para que ele comece a desenhar o planejamento do seu circuito. Dica: enquanto ele faz o planejamento use esse tempo para acelerar os seus afazeres.

Sexta-feira

Cinema: vocês tiveram uma semana e tanto e ele aprendeu a organizar e cumprir a semana obedecendo os combinados do varal. Nada mais justo do que assistirem a um filme juntos e comerem pipoca. Se não tiver TV a cabo, programe o cinema com um desenho que ele goste muito e assistam juntos.

 

Karla Berbat

Pedagoga e mestre em Educação Escolar

Assessora Pedagógica das Editoras Ática, Scipione e Saraiva – Rede Pública

Compartilhar


Deixe seu comentário