A implementação do Projeto de Vida no contexto do novo Ensino Médio

29 de outubro, 2020 - Por e-docente

Compartilhar

“A educação do século XXI deve preparar jovens para mudanças globais” – Unesco

Aquilo que é ensinado nas escolas prepara os alunos para concretizarem seus projetos na vida adulta?

Com essa pergunta se inicia o relatório da pesquisa da Fundação Lemann a respeito de Projeto de Vida. Suspeito que você conheça a resposta mesmo sem ter lido sobre o estudo.

É lugar comum perceber a desconexão entre o currículo e a vida do estudante – ou mesmo o mercado de trabalho. A escola que vivenciamos como alunos era essencialmente conteudista, e hoje somos desafiados a construir uma outra realidade, onde o desenvolvimento de habilidades e competências ajuda esses jovens a colocar seus conhecimentos em prática ao saírem da escola.

Assim, o Projeto de Vida se constitui não apenas do planejamento para atingir objetivos profissionais, mas principalmente da atribuição de sentido à sua existência, a uma expectativa de atuação na sociedade de forma ativa e ética, bem como o protagonismo nas suas escolhas e decisões futuras.

E como a escola pode contribuir nesse processo?

Um dos caminhos está justamente na implementação do Novo Ensino Médio. Nesse sentido, o Conselho Nacional de Educação definiu 9 princípios para nortear essa reformulação, sendo o segundo:

II – projeto de vida como estratégia de reflexão sobre a trajetória escolar na

construção das dimensões pessoal, cidadã e profissional do estudante;

Além disso, a BNCC trouxe o Projeto de Vida como uma das competências gerais, dando direção a esses esforços, mais especificamente na competência 6:

Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que possibilitem entender as relações próprias do mundo do trabalho e fazer escolhas ao exercício da cidadania e ao seu projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade.

Convém destacar também o compromisso com uma educação integral, postulada desde a introdução do documento:

No novo cenário mundial, reconhecer-se em seu contexto histórico e cultural, comunicar-se, ser criativo, analítico-crítico, participativo, aberto ao novo, colaborativo, resiliente, produtivo e responsável requer muito mais do que o acúmulo de informações. Requer o desenvolvimento de competências para aprender a aprender, saber lidar com a informação cada vez mais disponível, atuar com discernimento e responsabilidade nos contextos das culturas digitais, aplicar conhecimentos para resolver problemas, ter autonomia para tomar decisões, ser proativo para identificar os dados de uma situação e buscar soluções, conviver e aprender com as diferenças e as diversidades. 

Refletir nessas questões deflagra a urgência e a importância de criarmos o contexto pedagógico que vai promover a estruturação do Projeto de Vida do aluno, não apenas no Ensino Médio, mas durante toda a trajetória dele na escola, afinal, o trabalho com o Projeto de Vida traz significado à vida escolar. Ao olhar para trás, o aluno reconhecerá o valor do que foi aprendido e perceberá a finalidade útil de ter atravessado mais de uma década frequentando a escola.

Leia também: Como ajudar o aluno com a escolha profissional?

Como construir o Projeto de Vida desde os anos iniciais?

A partir desse conceito, fica evidente que há elementos que se podem fomentar desde muito cedo para colaborar nesse processo, como o autoconhecimento, a abertura ao novo, a criatividade, a autogestão, a organização do tempo, a autorresponsabilidade, a descoberta de seus talentos e aptidões, a capacidade de comunicação e trabalho em equipe.

Cada um desses aspectos pode ser desenvolvido desde os anos iniciais de escolarização, basta para tanto a intencionalidade pedagógica do professor, que passa a enxergar definitivamente para além dos limites do conhecimento compartimentado em disciplinas.

Uma das opções é adotar o Projeto de Vida na elaboração dos itinerários formativos como eixo estruturante, conforme prescrito nos Referenciais Curriculares para Elaboração de Itinerários Formativos:

Eixo estruturante:

EMPREENDEDORISMO E PROJETO DE VIDA

Habilidades obrigatórias:

  • Reconhecer e utilizar qualidades e fragilidades pessoais com confiança para superar desafios e alcançar objetivos pessoais e profissionais (…)
  • (…) estabelecer e adaptar metas, identificar caminhos, mobilizar apoios e recursos, para realizar projetos pessoais
  • Refletir continuamente sobre seu próprio desenvolvimento e sobre seus objetivos presentes e futuros (…)

Além da possibilidade de abordar o Projeto de Vida de forma transversal, há, ainda, a possibilidade dele ser trabalhado como um componente curricular específico, especialmente considerando que será necessário replanejar a carga horária do currículo comum para a implementação do Novo Ensino Médio.

É prudente destacar que, para atender às novas disciplinas e itinerários formativos criados, será importante privilegiar a formação inicial e continuada dos profissionais de educação, para que se vejam aptos a contribuir com esse novo momento e abarcar todos os aspectos físicos, cognitivos e socioemocionais que a escola tem no seu escopo.

Mais do que nunca brilhará o papel de nós, professores, que, “ao preparar alunos para cumprir seu potencial em um mundo cada vez mais globalizado, promovemos sociedades transformadas que também estão mais bem equipadas para lidar com os desafios do século XXI e para aproveitar as oportunidades dessa época.” (UNESCO)

Leia também: Série de dicas sobre realizações de ações relacionadas ao projeto de vida. 

Conclusão

Sem dúvidas, o profissional que trabalhar com o Projeto vivenciará, ele mesmo, importantes reflexões sobre seus talentos, aptidões e escolhas, que também contribuirão para sua própria construção de uma vida mais feliz e plena.

 

Karina Bojczuk

Formada em Letras pela USP, Karina é especialista em Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem pela PUC e entusiasta das neurociências aplicadas à Educação e do Futuro do Trabalho. 

REFERÊNCIAS 

UNESCO, Educação para a cidadania global: preparando alunos para os desafios do século XXI. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000234311. Acesso em: 20 out. 2020. 

FUNDAÇÃO LEMANN. Projeto de Vida: o papel da escola na vida dos jovens. Disponível em: <https://fundacaolemann.org.br/ materiais/projeto-de-vida>. Acesso em:  20 out. 2020

BRASIL. Lei n. 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13415.htm> Acessado em 20 out. 2020.

BRASIL, Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CEB nº 3/2018. Atualiza as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Disponível em: < https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/51281622> . Acesso em:20 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Referenciais Curriculares para Elaboração de Itinerários Formativos. Disponível em: <http://novoensinomedio.mec.gov.br/resources/downloads/pdf/DCEIF.pdf>. Acesso em: 20 out. 2020.

Compartilhar


Deixe seu comentário