23 perguntas e respostas sobre a arte na Educação Infantil – Por Eliana Pougy

03 de setembro, 2019 - Por e-docente

Compartilhar

Material de divulgação das editoras Ática, Saraiva e Scipione.
Não constitui documento oficial a respeito do PNLD.

O ensino de Arte na Educação Infantil pode parecer um pouco abstrato até mesmo para alguns professores. Convidamos Eliana Pougy, autora do Teláris Arte — coleção aprovada no PNLD 2020 — para esclarecer algumas questões sobre o ensino desse componente curricular importantíssimo para a formação do aluno.

Eliana Pougy, além de autora de livros didático e paradidáticos, é Doutora em Ciências Sociais e mestre em Educação. Foi professora de Arte no Ensino Básico e no Ensino Superior. Neste artigo, a autora responde mais de 20 questões enviadas por professores de Arte de escolas brasileiras.

Antes de conferir as respostas, conheça alguns aspectos da coleção Teláris Arte, de autoria de Eliana Pougy e André Vilela:

1. A contribuição da arte na educação infantil

O ensino de Arte serve para ampliar o repertório cultural dos estudantes, desenvolvendo sua sensibilidade, imaginação, criatividade e criticidade, ao mesmo tempo em que permitem que a escola se transforme num espaço verdadeiro de expressão dos alunos!

2. Como posso ensinar a desenhar sem saber desenhar?

Os professores de Arte não ensinam a desenhar, mas, sim, medeiam a construção dos saberes artísticos e estéticos, sendo que o Desenho é um deles.

As aulas de Arte na Educação Infantil devem permitir a experimentação consciente e a contextualização do Desenho enquanto manifestação artística a fim de ampliar o repertório cultural dos estudantes!

Nesse sentido, o trabalho docente em Arte visa desenvolver:

    • O olhar sensível para o próprio desenho e para o desenho dos outros; 
    • O fazer artístico experimental, consciente e reflexivo;
    • O estudo contextualizado e crítico sobre o desenho em suas diferentes vertentes e manifestações.

3. Como eu sei quando o desenho da criança está bom?

Aqui estão algumas sugestões:

  • Conversando com ela, permitindo que ela se expresse acerca do próprio desenho;
  • Construindo junto com ela soluções gráficas para os problemas que um desenho pode apresentar;
  • Trazendo referências de desenhos de outras pessoas para que ela possa se inspirar e criar soluções.

Em suma: ao dialogar com a criança e ampliar seu repertório cultural, a própria criança o ajudará decidir se o desenho dela está pronto ou não! É assim que os artistas agem e é assim que nossos aprendizes têm que agir!

4. O que preciso fazer para a criança entrar na fase da figuração?

O desenho infantil reflete o desenvolvimento cognitivo das crianças, pois, segundo Piaget, ele mostra em que fase do desenvolvimento a criança está (sensório-motor, pré-operatório, operatório concreto e operatório abstrato).

Por isso, é preciso deixar a criança passar todas as fases do desenvolvimento do desenho, sem atropelá-las. Ao mesmo tempo, é preciso estimulá-la, ao trazer imagens e vídeos de obras de arte feitas por artistas, ao levá-la em mostras e exposições, entre outros recursos.

5. Quais são os melhores materiais para desenhar e pintar?

Os que estiverem disponíveis. É possível fazer desenhos até mesmo com água num chão de cimento, por exemplo. Tudo pode ser usado para desenhar e pintar, é apenas uma questão de pesquisar e experimentar!

6. Preciso dar uma atividade diferente todos os dias?

Para as aulas, as atividades de artes na Educação Infantil não são a modalidade didática recomendada pelos PCNs e pela BNCC, documentos oficiais que regulam a educação brasileira.

O que eles recomendam são os Projetos de Trabalho, modalidade que implica um planejamento à médio e longo prazo e que envolvem os três âmbitos da Abordagem Triangular: fazer, ler e contextualizar arte.

Assim, para cada aula que faz parte de um Projeto, é possível planejar sequências didáticas de pesquisa, leitura de textos, escrita de textos, leitura de imagens e vídeos, experimentações artísticas, etc., abarcando as cinco linguagens artísticas: artes visuais, música, dança, teatro e artes integradas.

Quer conhecer mais sobre a coleção Teláris Arte? Confira a conversa com os autores e compreenda quais são os principais diferencias da coleção:

7. Como interpreto o psicológico das crianças no desenho?

Esse não é o papel do professor de Arte! Essa função é de psicólogos e de arte-terapeutas. Nosso papel é mediar o conhecimento artístico e estético, de forma contextualizada e crítica.

8. Quantas atividades de arte cabem em uma aula?

Depende do número de alunos que você tem, dos recursos que a escola tiver, do desenvolvimento cognitivo de seu grupo… em suma: não existe regra para isso!

9. Como induzir as crianças a fazerem as releituras mais parecidas com as obras dos artistas?

A cópia de trabalhos artísticos, assim como a releitura, podem ser alguns dos inúmeros recursos didáticos que você tem em mãos para planejar suas aulas.

A cópia permite que um estudante apreenda a técnica de um artista, entretanto, dependendo da sua idade e do seu desenvolvimento cognitivo, ele pode não ter capacidade de copiar fielmente… assim, a cópia fiel, muitas vezes, acaba por frustrar professores e alunos.

É preciso respeitar a capacidade cognitiva dos nossos alunos e valorizar suas características, como a criatividade e a experimentação!

Sempre lembrando que as aulas de Arte, segundo os PCNs e a BNCC, possuem o objetivo de formar cidadãos críticos e criativos!

10. Como ensinar a vida dos artistas para as crianças?

As crianças aprendem pelo exemplo e pela mediação cultural que os adultos realizam.

Assim, quanto mais leituras de livros com biografias de artistas; visitas a exposições e mostras de arte; convites para artistas irem dialogar com as crianças na escola; entre outras boas práticas, melhor!

Dessa forma, o ensino da vida de artistas depende de uma mediação cultural diversa e criativa feita por você, colega professor!

11. Pode repetir atividades e técnicas de artes mais de uma vez?

Claro que sim! Entretanto, é preciso comparar os trabalhos realizados de forma reflexiva e por meio de muito diálogo e roda de conversa. Juntos, você e seus alunos irão descobrir modos de fazer arte únicos e originais.

Lembre-se: o diálogo e o pensamento reflexivo são os principais recursos de um professor mediador!

12. Como guardo os trabalhos de arte na escola?

O principal meio de registro das atividades realizadas em um Projeto de Trabalho é o portfólio.

O portfólio é uma pasta que guarda de forma cronológica os trabalhos ou os registros dos trabalhos em forma de fotografia, vídeo ou CD de música, por exemplo.

Cada aluno deve ter o seu portfólio, de modo que ao final de um projeto vocês, professor e aluno, consigam visualizar o desenvolvimento e a qualidade da produção.

13. Uma criança estragar o desenho da outra é grave?

Sim, e essa ação deve ser motivo para que a turma toda pare o trabalho e se reúna em roda. Nesse momento, você deverá rever o contrato didático realizado com a turma, esclarecendo mais uma vez o que se pode e o que não se pode fazer em sala.

Em outras palavras, as aulas de Arte na Educação Infantil também são momentos em que o acordo de convivência feito entre vocês tem que acontecer. Afinal, as aulas de Arte não são bagunça!

14. Precisa fazer exposição dos trabalhos?

Com certeza! A exposição e as mostras de Arte com trabalhos dos alunos fazem parte do processo de aprendizado, pois refletem o modo como os artistas agem socialmente.

O aprendizado em artes visuais na Educação Infantil deve abranger as práticas sociais do campo artístico, e os artistas praticam a socialização de suas obras. Afinal, o artista existe porque existe público!

15. Onde posso estudar as vidas dos artistas para dar aula?

Atualmente, os sites de artistas se constituem no melhor recurso para sua atualização e pesquisa, colega professor. Além deles, existem projetos como o Google Arts & Culture, que funcionam como portais para museus do mundo todo.

A biblioteca escolar e de sua cidade também pode ser de grande auxílio, além dos livros e materiais didáticos que chegam à sua escola.

16. Pode fazer aula de Arte uma vez por mês?

Segundo a LDB, as aulas de Arte no Ensino Fundamental devem ocorrer de uma a duas vezes por semana, dependendo da rede de ensino.

17. Onde aprendo desenhos novos para ensinar aos meus alunos?

A formação continuada em Arte é muito importante para o seu trabalho e carreira.

Fique atento às propostas de formação de sua rede e também de outras instituições, como as Universidades, os institutos e as empresas de formação continuada!

18. O que eu faço com as crianças que não sabem desenhar?

O desenho é uma das técnicas das artes visuais, e não deve ser o único foco das aulas de Arte.

Conforme os PCNs e a BNCC, as aulas de Arte na Educação Infantil devem abarcar toda a diversidade de técnicas das artes visuais, musicais, da dança, do teatro e das artes integradas.

Dessa forma, se algum de seus alunos não se expressar à contento por meio do desenho, ele pode fazer isso por meio da dança, do teatro, dos festejos brasileiros, do audiovisual, etc.

É seu papel apresentar a seus alunos o rico universo das expressões artísticas. Com certeza, ele conseguirá se expressar em uma delas!

19. Posso usar as aulas de Arte sempre para ilustrar as matérias de estudo das disciplinas?

O trabalho interdisciplinar é recomendado pelos PCNs e pela BNCC. Assim, unir os saberes de diversas disciplinas num projeto é sempre bem-vindo. Para isso, é preciso ter clareza quais conteúdos de Arte (conceitos, procedimentos e atitudes) serão trabalhados, como e quando eles participarão das atividades do projeto e como será realizada a avaliação.

20. Aula de Arte tem que ser dada só por especialistas?

Sim, por licenciados em Arte e também por licenciados em Pedagogia, nesse caso, apenas dos anos iniciais do Ensino Fundamental.

Entretanto, dependendo das condições reais de uma rede de ensino, a escola pode pedir licença para a secretaria para que as aulas sejam ministradas por não-especialistas.

21. Aula de Arte pode ser sempre desenho livre?

O desenho livre é um dos recursos que você pode utilizar, entretanto, os alunos têm o direito de aprender linguagens, técnicas e recursos desenvolvidos por artistas brasileiros e de outros lugares ao longo da história da Humanidade.

É seu papel, professor, mediar o conhecimento artístico e estético em toda a sua riqueza para as crianças brasileiras que convivem com você!

22. Como faço para dar nota de Arte para os meus alunos?

A avaliação em Arte é processual, ou seja, deve ocorrer no início, durante e no final de cada Projeto de Trabalho.

  • Início: serve para você desvelar o que os alunos sabem sobre o que vão estudar durante o projeto;
  • Durante: serve para refletir o resultado das etapas de um projeto, como os momentos de apreciação, contextualização e do fazer arte, de modo que você consiga verificar o aprendizado dos alunos em cada uma delas;
  • Final: em geral, se refere ao produto do projeto, que pode ser uma obra de arte, uma pesquisa, um texto crítico, etc.

Agindo dessa forma, você consegue mensurar a nota dos alunos de forma justa e justificada.

23. O que eu faço quando a criança não gosta da sua própria produção?

Dialogue com ela! Ao conversar com seu aluno, você pode verificar por que ele não gostou do próprio trabalho.

Nessa hora, aproveite para utilizar conceitos estudados, como elementos da linguagem, técnica, materiais, etc., e ajude seu aluno a resolver os problemas que o impedem de ficar satisfeito com seu trabalho.

O livro didático, no ensino das disciplinas de Linguagens, é fundamental para o acesso às diversas manifestações artísticas e textos fundamentos. Baixe o material gratuito e veja nossas dicas sobre como utilizar o livro didático no momento de planejar as aulas de Arte.

Leia também: Qual a importância do ensino da arte na escola?

Compartilhar


Deixe seu comentário