18 dicas para o ensino da Matemática – por Luiz Roberto Dante

02 de setembro, 2019 - Por e-docente

Compartilhar

Material de divulgação das editoras Ática, Saraiva e Scipione.
Não constitui documento oficial a respeito do PNLD.

Autor da coleção Teláris Matemática, aprovada no PNLD 2020, Luiz Roberto Dante dá algumas dicas para tornar o ensino da Matemática mais significativo para os estudantes. O Doutor em Psicologia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, além de autor de vários materiais didáticos para o Ensino Básico, atuou durante anos como professor da rede pública brasileira.

Antes de seguir com as dicas do autor, veja alguns detalhes da coleção Teláris Matemática:

Dicas para um ensino da Matemática mais significativo

Os estudos e as pesquisas em Educação da Matemática apontam para algumas diretrizes para tornar o ensino e a aprendizagem da disciplina mais significativos. Enunciamos a seguir algumas delas, baseadas em nossa experiência, em nossos estudos, e em nosso contato com a realidade da sala de aula.

  1. Trabalhar as ideias e os conceitos matemáticos intuitivamente, antes da simbologia, antes da linguagem matemática.
  2. Criar oportunidades para o aluno aprender por compreensão e não por mecanização, apresentando a ele os porquês.
  3. Estimular o aluno a pensar, raciocinar, criar, relacionar ideias e ter iniciativa e autonomia de pensamento.
  4. Substituir nas aulas a frase “É assim que se faz” por outra, como “Pense um pouco sobre isso”.
  5. Trabalhar os conceitos e os procedimentos matemáticos via resolução de problemas que envolvam o aluno de modo significativo.
  6. Aproveitar a experiência acumulada pelo aluno, partindo dos seus conhecimentos prévios e produzindo aprendizagem significativa.
  7. Estimular o aluno a fazer estimativas, cálculo mental e arredondamentos, obtendo resultados aproximados.
  8. Fazer conexões da Matemática com outras áreas do conhecimento: interdisciplinaridade.
  9. Considerar mais o processo do que o produto final, mais as estratégias utilizadas do que resultados prontos e acabados.
  10. Encarar a aprendizagem da Matemática como um processo ativo e não passivo.
  11. Utilizar a História da Matemática como um importante recurso didático.
  12. Os jogos e as brincadeiras também podem ser importantes recursos didáticos.
  13. Utilizar a calculadora e o computador adequadamente, sabendo quando e como fazê-lo.
  14. Enfatizar igualmente as Unidades temáticas da Matemática: Números, Álgebra, Geometria, Grandezas e medidas e Probabilidade e estatística. Trabalhá-las de forma integrada.
  15. Equilibrar conceituação, habilidade de cálculo e aplicações.
  16. Sempre que possível, desencadear novos conteúdos via situações-problema contextualizadas.
  17. Desenvolver as competências: representação e comunicação; investigação e compreensão; percepção sociocultural e histórica da Matemática.
  18. Desenvolver no aluno uma atitude positiva em relação à Matemática.

Aproveite para conferir uma conversa com o Luiz Roberto Dante sobre sua coleção aprovada no Programa Nacional do Livro e do Material Didático de 2020:

Quer ver outras dicas da área de Matemática? Baixe o material gratuito e veja dicas de como considerar o livro didático e sua totalidade no momento de planejamento das aulas.

Compartilhar


Deixe seu comentário